Um espaço de reflexão política que permita o debate das ideias

02
Ago 08

Triste conceito de poder que se alimenta de autosuficiência.

Os receios do Presidente da República em relação à revisão do Estatuto são sobretudo de que a Região queira por em causa os orgãos do Estado e até os poderes do Presidente.

Fez questão de reforçar na sua declaração que as exigências do novo estatuto para a dissolução da Assembleia Legislativa são maiores do que as que a Constituição exige em relação à Assembleia da República. Exigências de audição, de ouvir os grupos parlamentares eleitos, o Presidente do Governo, porque são orgãos eleitos democraticamente que não tendo mais poderes do que o Presidente, são representantes legítimos, num regime democrático. Será que ouvir tira poder a alguém? Fragiliza uma decisão?

O que está em causa são formas de entender o exercício do poder, num caso mais centralista e autoritário e noutro mais democrático e descentralizado. E se há modelo que se adequa à Regionalização, a relação de um poder nacional com os poderes regionais autónomos, é sem dúvida aquele que passa pela auscultação e consideração.

O que o PR tem receio é de ter de decidir com base em mais informação, e sobretudo, não sabe como lidar com a voz das regiões, porque assim como não ia à AR quando era primeiro ministro, também não é capaz de se confrontar com uma região que ao invés da Madeira não decide de cima do pedestal do "quer posso e mando", mas da busca do sentido genuíno da democracia.

É bom que os açorianos reconheçam quem realmente defende os seus interesses, porque se o PSD regional surge como defensor do Estatuto, não deixa de elogiar a sua líder nacional que "é ministra" do Presidente da República e nesta questão do EStatuto, até combinou,  na sequência da comunicação "surpresa", uma declaração política.  

O constitucionalista Miranda, comentando as reacções dos partidos, considerou eleitoralista a posição actual, como se o processo de revisão do Estatuto não tivesse dois anos e meio de trabalho por detrás e se alguém está a fazer eleitoralismo com este processo, só pode ser o PR que até interrompe férias para falar ao País sobre o assunto.

publicado por sentirailha às 19:54
tags:

Agosto 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


subscrever feeds
arquivos
contador
contador
mais sobre mim
pesquisar
 
favoritos

Açorianidade

blogs SAPO